Distrito Caldas do Jorro: Porque emancipar?

_img 
 Torço e se puder, votarei em favor da emancipação sim. Sabe por que? Há muito tempo que a Administração de Tucano não está dando o auxilio necessário que o Distrito Caldas do Jorro merece. Analisem a situação da saúde, das escolas (aliás, há quanto tempo não constroem um prédio público de educação neste Distrito?), as ruas há mais de 10 anos não recebem uma pedra de calçamento sequer, a falta de iluminação e coleta de lixo em grande parte das ruas das periferias de Caldas do Jorro.
 Esta seria uma enorme oportunidade de Caldas do Jorro, um lugar belíssimo, com grande população, potencial turístico e econômico sem dimensão, mas abandonado e por isso muito atrasado em relação a outros. O progresso tem que chegar a esta localidade. A realidade brasileira já mostra que municípios pequenos são mais viáveis em serem administrados, basta vontade política, é claro.
 Não há cabimento um distrito tão grande (a população local é maior que mais de cem municípios do Estado), continuar dependendo da Sede e dos políticos mal intencionados que governaram e que governam esta terra. Até hoje não vi nenhuma ação que trouxesse uma interligação viária entre Jorro e Tucano com segurança e viabilidade para a prática de atividades físicas, se isso acontecesse talvez a tal EMANCIPAÇÃO não fosse tão desejada.

 A Emancipação pode sim ser uma solução para o abandono político, educacional e social de Caldas do Jorro. As mentiras de máscaras quando dizem que estão investindo em Caldas do Jorro já caíram por terra há tempos.
 Uma informação importante deve ser levada a toda a população de Tucano e, principalmente do Distrito Caldas do Jorro. A notícia veiculada esta semana pelo Grupo A Tarde, que trazia um estudo sem incluir o Jorro, é só um estudo e dá mostras de que a Comissão Pró-Emancipação precisa acordar e se articular melhor, creio que o evento do dia 09, próximo sábado, será de suma importância nesta articulação e que não deva ser o único.
 Quanto aos que pensam que criar novos municípios, criaremos mais cargos públicos, mais corruptos, mais, mais e mais… É contestável, pois se os políticos que ai estão, perpetuam a corrupção, nós também temos uma parcela de culpa, já que os colocamos lá, cabe-nos então reaprendermos a votar.
 Precisamos deixar de lado o bairrismo e o conservadorismo presente, tanto nos favoráveis, quando entre àqueles contrários à emancipação. É hora de fazermos uma reflexão sensata e isso trará alguns questionamentos, por exemplo, quantos novos vereadores surgirão? Quantas secretarias precisarão ser criadas? Quantos novos cargos comissionados? Em fim, qual o custo do novo município?
 Algumas respostas são certas. Já temos 15 vereadores, após uma possível divisão, cada um não poderá ter mais que 10. Hoje existem 07 secretarias, após uma possível emancipação, não há necessidade que cada um tenha mais que 05. Nas informações do município de Tucano, em agosto de 2013, ao TCM, são 280 Comissionados, sem pensar em apadrinhar ninguém politicamente, creio que poderá até diminuir.
 Em todos os outros quesitos exigidos para que um Distrito se torne cidade, isto é, geográficos, populacionais, econômicos, etc., Caldas do Jorro passa fácil, fácil, fica só o quesito PLEBISCITO, este sim poderá ser o grande algoz da emancipação, mas se a Comissão Pró-Emancipação der continuidade às articulações, superará tal algoz, dai em diante o resto… Será só o resto.

Texto: Professor e dirigente  sindical  Nilson Negão /foto -Saulo Galvão