Um ônibus, em condições visuais questionáveis, contratado pela Prefeitura de Teixeira de Freitas para fazer o transporte escolar da Fazenda Boa Vista, interior do município, matou um aluno no início da noite desta quarta-feira (30). A vítima foi Joelson Oliveira Domingos, de 12 anos de idade, que ao descer do veículo teria sido atropelado, inclusive tendo a cabeça esmagada por um dos pneus do ônibus.

O fato foi comunicado à Polícia Civil às 21h45, por um irmão do aluno morto, Joeval Oliveira Domingos, esse que informou a ocorrência, alegando que o condutor do ônibus, que segundo ele chama-se Jânio Canguçu, não seria habilitado, tanto que fugiu logo após perceber que o adolescente tinha morrido. O jovem ainda chegou a ser socorrido ao Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF), mas já estava em óbito. Há uma denúncia que o motorista oficial da condução tinha o hábito de passar o volante do veículo para outras pessoas.
Quando foi feita a licitação para contratação do transporte escolar para servir o município de Teixeira de Freitas, o prefeito João Bosco Bittencourt (PT) justificou os valores como sendo uma maneira supostamente justa para oferecer um serviço de qualidade ao alunado e tranqüilidade aos seus familiares. Denúncias dão conta que muitas linhas são feitas por veículos de terceiros e não da empresa, com ônibus velhos e muitas vezes conduzidos por motoristas com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) abaixo da categoria exigida.

As circunstâncias da tragédia ainda serão apuradas pela Polícia Civil, mas sabe-se que aconteceu na chegado do alunado de Teixeira de Freitas à propriedade rural. No local do atropelamento fatal a grande quantidade de sangue não deixava dúvida sobre a violência. Somente nesta semana, esse garoto é a segunda vítima de aparente negligência dos serviços públicos em Teixeira de Freitas. No último domingo (27), Jeferson Neves Santos, de 18 anos, gritando de dores, após engasgar-se com uma espinha de peixe, acabou não resistindo. O jovem havia procurado atendimento médico no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF), mas como não tinha dinheiro para pagar uma endoscopia na rede particular, acabou sendo mandado de volta para casa, onde não resistiu e acabou morrendo.

Como o gestor público responde pelos serviços prestados à população, o prefeito de Teixeira de Freitas, João Bosco Bittencourt (PT) pode ser responsabilizado civil e criminalmente por esses acontecimentos.

Após o acidente ocorrido na noite desta quarta-feira (30) o ônibus foi apreendido e o condutor acusado de dirigir sem CNH será convocado a depor. O dono do veículo, que ainda não teve o nome revelado, bem o motorista que teria passado a responsabilidade da condução, também terão que explicar os motivos que os levaram a entregar um ônibus escolar para uma pessoa, que segundo denúncias do irmão da vítima, não possuía capacidade técnica para o trabalho. Os dois podem responder por homicídio doloso, quando o agente, de maneira consciente, adota uma medida irregular, sabendo que sua ação pode culminar em morte.

Por: Ronaldo Brito