Mulher morre eletrocutada ao fazer chapinha

Uma auxiliar de escritório, identificada como Cristina Barbosa Marcolino, de 30 anos, moradora de Várzea Paulista, região de Jundiaí (SP), morreu eletrocutada quando alisava os cabelos com uma chapinha, na noite de quinta-feira (19). De acordo com  publicação do site Estadão, o pai de Cristina ouviu um barulho e a encontrou caída no chão do quarto, na casa da família, na Vila São José.

Ainda e acordo com a publicação, Cristina não conseguiu pedir socorro. Ela preparava-se para sair com o namorado. Cristina foi levada ao hospital da cidade, mas já chegou morta. Os médicos ainda tentaram reanimá-la, sem sucesso. O corpo foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Jundiaí. De acordo com o laudo, a auxiliar de escritório sofreu uma parada cardíaca em razão do choque elétrico.

A Polícia Civil afirmou que, apesar de tudo indicar que a morte foi acidental, a causa será investigada. O aparelho usado pela vítima será submetido à perícia. A rede elétrica também será examinada. De acordo com relato feito por familiares, Cristina tinha saído do banho e estava descalça, com os pés úmidos sobre o piso, o que pode ter contribuído para a descarga elétrica. De acordo com o pai, Orlando Marcolino, a filha havia trabalhado como hair stylist e tinha experiência no uso da chapinha. A mulher foi enterrada nesta sexta-feira, 20, no Cemitério Nossa Senhora do Montenegro, na própria cidade.
Foto: divulgação