Autoescolas são obrigadas a comprar simulador; preço mais barato do equipamento é de R$ 40 mil


Tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) deve pesar muito mais no bolso no ano que vem. É que, além das correções normais de taxas, as autoescolas terão que contar com simuladores de direção, equipamento caro que será obrigatório.

Embora autoescolas consultadas por A GAZETA tenham dito que acreditam que o preço cresça de 30% a 40%, representantes do setor que estiveram em reunião esta semana com uma das possíveis fornecedoras do simulador creem que o aumento será maior.

“Se hoje os Centro de Formação de Condutores (CFCs) cobram cerca de R$ 1.300, acreditamos que os valores poderão ficar entre R$ 2.800 e R$ 3 mil”, diz o presidente da Associação das Autoescolas e diretor do Movimento Autoescola Espírito Santo, Paulo Roberto Rodrigues.
Nestor Muller
"Já estava preparada para pagar o valor atual, não sabia que ia aumentar tanto. Acho que o governo poderia arcar com parte do valor desses simuladores" Laura Diniz, Estudante, 20 anos

O aumento no custo acontecerá porque o preço mais barato encontrado pelos CFCs para comprar um simulador é de R$ 40 mil. Além disso, a manutenção mensal para emitir o relatório de dados sobre as aulas para o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-ES) e o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) tem valores de R$ 1.200 a R$ 1.800.

Além disso, boa parte dos CFCs precisará de mais de um simulador, já que cada um pode atender apenas 40 alunos por mês. O tempo para tirar a CNH também deve aumentar, já que serão pelo menos cinco aulas na máquina.

“Juntando essa situação com o aumento da gasolina e das taxas do Detran, que devem ser de cerca de 7% esse ano, temos um valor oneroso que será repassado para os alunos”, lembra Rodrigues.

Legislação

Regulamentada na lei de trânsito pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) no final de 2012, a obrigatoriedade dos simuladores nas autoescolas deveria ter sido implantada em junho deste ano, mas foi repassada para o dia 1º de janeiro de 2014.

Ainda assim, as autoescolas acreditam que não será possível atender a data definida, uma vez que existem quatro fornecedores das máquinas no País e eles não dariam conta de abastecer os 12 mil CFCs existentes no Brasil.

O Detran informou que “o simulador garante a experiência das aulas práticas sem expor a qualquer risco o cidadão”. A máquina seria uma prévia virtual que “permite que o candidato vá mais seguro para as aulas de direção”.

Previsão

3 mil por CNH
É a estimativa das autoescolas diante da obrigatoriedade do simulador.