Autor confesso de pelo menos 14 homicídios praticados em diversos bairros de Salvador, Iran Teixeira Santos Júnior, o “Barroquinha”, de 20 anos, foi executado na noite de sexta-feira (03) na localidade conhecida como ‘Sertanejo’ no bairro da Liberdade.

Com passagens em diversas delegacias da capital baiana, “Barroquinha” ficou conhecido em todo o Estado depois de ser fotografado por Juarez Matias, atual repórter fotográfico do Bocão News, atacando um turistas em 2011 no Centro Histórico de Salvador. Na oportunidade ele foi preso e encaminhado para o Complexo Policial dos Barris.

O jovem – que fez carreira no mundo de crime pela violência e ameaças a policiais e moradores da Liberdade - chegou a permanecer por dois anos no Centro de Acolhimento ao Menor (CAM), por um assassinato cometido quando ainda era adolescente.

Ainda em 2011, ao ser interrogado, ele assumiu outros 13 homicídios, praticados, segundo afirmou, contra desafetos em vários bairros da cidade, como IAPI, Pau da Lima, Sussuarana, Brotas e Pau Miúdo.

Longe das delegacias, segundo a polícia, ele continuou em conflito com a Justiça, e permaneceu cometendo crimes, principalmente tráfico, roubo e homicídio. Apenas em 2013 ele foi preso quatro vezes por policiais da 37ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), sob o comando do major Humberto.

 
 
Nascido na região do Centro Histórico, Iran Teixeira Santos Júnior passou a morar ainda criança no Pau Miúdo. Já na adolescência, retornava frequentemente ao Pelourinho e adjacências para assaltar turistas, dos quais subtraia principalmente correntes, relógios e outros pertences de valor.

“Barroquinha” foi alvejado em várias partes do corpo e chegou a ser socorrido para a emergência do Hospital Ernesto Simões, mas não resistiu aos ferimentos. A morte segue sendo investigada por agentes do DHPP e a principal suspeita é que o crime seja um acerto de contas entre traficantes do ‘Sertanejo’ com a vítima.
Foto e informações: Marcelo Castro | Se Liga Bocão