vizinhança da agência do Banco do Brasil na Praça da Conceição em Araci acordou com uma forte explosão. Era por volta das 2 horas e 15 minutos da madrugada desta quarta-feira, 29 de janeiro, quando cerca de  oito homens trajando roupas idênticas a do exército, com toucas e lanternas colocaram explosivos em dois dos caixas eletrônicos da agência.  A explosão foi suficiente para destruir toda área de atendimento dos caixas eletrônicos. Portas de vidro, teto e fachada baixa vieram ao chão.

Segundo informações de funcionários de padarias da praça – que já trabalhavam, a movimentação dos assaltantes começou por volta das 2 horas da manhã. Primeiro eles arrobaram a porta de vidro e só depois colocaram os explosivos nos caixa e saíram da agência correndo para se distanciarem da explosão.

Dois homens entraram na agência para instalar os explosivos, outros ficaram  fora da agência e um outro homem dentro de um dos veículo que parecia ser um Honda Civic de cor branca estacionado próximo a agência.

Um funcionário da agência informou que não sabe se os assaltantes conseguiram levar alguma quantia, mas há vestígios, segundo a PM, de que a explosão não conseguiu atingir o cofre dos caixas já que em meio à bagunça não é possível ver pedaços de cédulas, o que é comum nesses casos.

Ainda de acordo com populares dois Guardas Municipal que estavam de plantão na praça foram abordados e algemados, só foram liberados após todo acontecimento.

Uma funcionária de uma das pousadas vizinhas ao banco disse que ação foi rápida e o que bandidos chegaram em dois carros. Os hospedes da pousada que fica em cima do banco saíram imediatamente após a explosão, mas ninguém se feriu.

A 3ª CIA PM não foi atacada como é rotineiro acontecer em assaltos a banco. Os policias que estavam de plantão foram acionados e preservaram o local. “Estávamos na praça minutos antes. Acredito que eles esperaram a gente sair para agir” – disse um PM ao Portal Folha.
Na fuga os assaltantes deixaram cair uma banana de dinamite no meio da rua

Parte interna do banco ficou totalmente destruída

Fonte: Portal Folha