O suspeito de acender e soltar o rojão que matou um cinegrafista da TV Bandeirantes em um protesto no Rio de Janeiro na última quinta-feira (6), foi preso por volta das 2h da madrugada desta quarta-feira (12), em Feira de Santana.

Caio Silva de Souza, de 23 anos, auxiliar de serviços, foi encontrado na Pousada Gonçalves, próximo a Estação Rodoviária. Ele foi preso pelo delegado que investiga o caso, Maurício Luciano de Almeida e Silva, da Polícia Civil do Rio de Janeiro.
 
O suspeito estava indo para a casa de parentes em Itu (CE) e durante o trajeto parou em Feira de Santana, de onde partiria hoje cedo. A polícia conseguiu localizá-lo, segundo informações, através de monitoramento das ligações do acusado com a namorada e o advogado.
 
Recepcionista não suspeitou de nada
 
 O recepcionista da pousada, Hergleidson de Jesus Moreira, disse ao Acorda Cidade que Caio chegou ao local por volta das 16h de terça-feira (11) e pagou a diária usando o nome de Vinícius Marcos de Castro. Hergleidson disse ainda que ninguém o reconheceu na pousada e por isso não suspeitou de nada.

“Ele permaneceu no quarto e estava só. Os policiais chegaram acompanhados da namorada dele, que foi a primeira a subir, e do advogado. Ele recebeu uma ligação de madrugada de uma pessoa que se identificou como irmão dele, dizendo que estava chegando em Salvador e que mais tarde estaria vindo para Feira e que era para reservar  três quartos para seis pessoas que estavam chegando”, relatou o recepcionista ao Acorda Cidade.

 
O cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, 49 anos, foi atingido por um rojão enquanto filmava o protesto contra o aumento das passagens de ônibus, próximo à Central do Brasil,  centro da capital fluminense. A morte cerebral dele foi anunciada  na segunda-feira (10), depois de passar quatro dias em coma . 
 
Santiago teve afundamento do crânio e perdeu parte da orelha esquerda. Ele foi submetido a uma cirurgia para diminuir a pressão craniana, assim que chegou ao Hospital Municipal Souza Aguiar. No sábado (8), uma tomografia comprovou que a hemorragia havia sido controlada, mas o estado de saúde do cinegrafista piorou. Com informações do repórter Ney Silva, do programa Acorda Cidade.