Cymothoa exigua, ou "peixe comedor de língua", é um parasita crustáceo da família Cymothoidae. Esse parasita entra no corpo de peixes pelas brânquias e então se agarra a base da língua do peixe. A fêmea se agarra à língua e o macho às guelras, logo atrás da fêmea. A fêmeas tem de 8 à 29 mm de comprimento e de 4 a 14 mm de largura máxima. Machos tem aproximadamente 7,5 à 15 mm de comprimento e de 3 à 7 mm de largura.1 O parasita destroi a língua do peixe e então se liga à base do que era a base dessa língua e se torna a nova língua do peixe.

Comportamento
Cymothoa exigua extrai sangue utilizando as garras que tem na frente do corpo, causando atrofia na língua do peixe. O parasita então substitui a lingua se ligando aos músculos da base do lingua. O peixe é capaz de usar o parasita como uma língua normal e, aparentemente, o parasita não causa nenhum outro mal ao peixe hospedeiro. Uma vez que C. exigua substitui a língua do peixe, alguns se alimentam do sangue do hospedeiro e outros do muco do peixe. É o único caso conhecido de um parasita que substitui funcionalmente um orgão do hospedeiro. Existem muitas espécies de Cymothoa, mas C. exigua é o unico caso conhecido por consumir e substituir a língua do hospedeiro.

Distribuição
Cymothoa exigua é bastante comum. Pode ser encontrado no Golfo da Califórnia, de norte à sul do Golfo de Guayaquil, Equador. Houve casos de exemplares encontrados de 2 até 6 metros de profundidade. Esse Isópode é conhecido por parasitar oito espécies em 2 ordens e 4 famílias de peixes.

Em 2005 um In 2005, a red snapper hospedeiro do que poderia ser Cymothoa exigua foi descoberto no Reino Unido. Como ele é normalmente encontrado na costa da Califórnia, isso levou a possibilidade de a área de ação do parasita estar aumentando . Entretanto, pode ser que ele tenha viajado do Golfo da Califórnia na boca do peixe e sua aparição do Reino Unido seja um evento isolado.

Influência à seres humanos
Atualmente acredita-se que Cymothoa exigua não são perigosos para humanos se não forem pegos vivos, ja que pode morder. Em Porto Rico, Cymothoa exigua foi o pivô de um processo legal contra uma grande rede de supermercado. Uma vez que é encontrado em peixes do pacífico oeste que são exportados para várias regiões do mundo, a contaminação pelo parasita é inevitável. O consumidor que entrou com o processo alegou que havia sido envenenado ao comer o isópode dentro do peixe. Nesse caso, porém, sabe-se que isópodes não sao venenosos para humanos e que alguns são inclusive consumidos como parte de uma dieta regular. Por: Ayrton Hungria / Informações da internet