Desde que o avião onde estava a família de Luciano Huck e Angélica foi obrigado a fazer um pouso forçado na manhã de domingo, muito se falou dos envolvidos no acidente. Os apresentadores, seus três filhos, Benício, Joaquim e Eva, o piloto herói Osmar Frattini, o copiloto José Flávio de Souza, e as babás, sempre apresentadas desta forma, sem identificação.

Em um primeiro momento, dá até para considerar que, como trabalham com crianças famosas, filhas de ricos e altamente sequestráveis, poderia haver algum cuidado extra em ocultar a identidade das empregadas. Por mais bizarra que essa explicação possa parecer, faria até sentido. Mas foi difícil de engolir ver Luciano Huck, no Jornal Nacional, explicando o machucado da filha em rede nacional e não chamando a babá pelo nome.

—  A Eva chorava muito, a gente achou que ela tinha se machucado por dentro, ela estava com uma marca na lateralzinha, mas foi a babá que apertou muito ela.

Foi a babá? Ele não foi capaz de referir a ela pelo nome, apelido, o que quer que fosse? Ou será que Luciano nem sabe o nome delas? Fato é que as babás só ganharam uma identidade na noite de ontem, quando ficamos sabendo que elas são Marciléia Eunice Garcia e Francisca Clarice Canelo Mesquita. O que sentiram, como viveram o acidente que colocou suas vidas tão em risco quanto a dos demais, ainda não sabemos.  Como também não sabemos se elas são como tantas milhares de mulheres que, muitas vezes, deixam seus próprios filhos e famílias para cuidar dos filhos dos outros.

O que temos certeza é de que estavam ali, agarradas aos filhos de Huck e Angélica, no momento mais difícil da vidinha deles. E que, mesmo com papai Luciano não se referindo a elas pelo nome, provavelmente devem ser chamadas pelas crianças de alguma forma bem carinhosa, como normalmente acontece com as babás...

Fonte: R7