Pela primeira vez na história do município de Tucano a Jornada Pedagógica é cancelada. Apenas a abertura oficial aconteceu na noite de ontem, segunda-feira.

O motivo é fácil de compreender: o prefeito Luiz Sergio (PSD) cortou do salário de janeiro de 2017 diversos direitos adquiridos pelos professores e ainda não pagou o 1/3 férias dos profissionais.

No dia 17 de fevereiro, a categoria se reuniu em assembleia e decidiu por unanimidade que não participaria da jornada caso todos os pagamentos não fossem efetuados, e que aguardariam um comunicado oficial até o meio dia de ontem, segunda-feira, garantindo a resolução do impasse.

De posse do resultado da assembleia, o prefeito tratou de correr para a rádio com a secretária de educação e fez uma participação no primeiro programa do dia da emissora no dia 20 de fevereiro e afirmou que o pagamento seria realizado e que todos os professores deveriam se dirigir à noite para a abertura da jornada.

Confiando, os professores foram ao evento e nesta terça-feira quando seria o segundo dia da jornada nas escolas, foram surpreendidos pelo não cumprimento do acordo e nenhum pagamento foi realizado. O fato gerou revolta geral nos professores, o que culminou com uma ida urgente do presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Tucano, José Nilson dos Santos na rádio hoje cedo e divulgou uma nota oficial do sindicato cancelando a participação dos professores na continuidade das atividades da jornada.

Usando como tema “Educação com Compromisso” e tendo levado um palhaço para tentar animar, a jornada virou motivo de piada na internet. “Um Palhaço na Abertura da jornada! Somos todos palhaços? Foi esse o recado?”, escreveu um professor identificado por Anjobson Martins. Numa outra postagem o professor Antonio Uilton comenta: “Hoje, após um dia do prefeito ter ido às rádios firmar compromisso, que não cumpriu deveríamos em tese, praticamente, está voltando às nossas atividades, mas ainda não nos foi pago o terço férias. Diante desse contexto, decidimos, em assembleia, não dar segmento à Jornada Pedagógica, até que tenhamos a garantia do pagamento”.

Fonte: Bahia Já