Acredita-se que a maternidade é uma das experiências de maior empolgação que uma mulher pode ter na vida, mas a realidade é bastante diferente do imaginário social.

De acordo com uma pesquisa da Escola Nacional de Saúde Pública, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), mais de uma em cada quatro brasileiras apresenta sintomas de depressão pós-parto. O estudo, que entrevistou cerca de 23 mil mulheres entre 6 e 18 meses após o parto, foi publicado no Journal of Affective Disorders e analisou fatores por trás dessa estatística.

O trabalho foi liderado pela pesquisadora Mariza Theme, e apontou que, no Brasil, o índice de mulheres com sintomas é de 26,3%, número maior do que o registrado nos Estados Unidos, Austrália e em países da Europa.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a média de casos de depressão pós-parto em países de baixa renda é de 19,8%. Tamires Dalcol, operadora de telemarketing, conta que começou a ver a própria morte: “Vou morrer, mas pelo menos meus pais estão aí para cuidar e amar meu filho”.

Uma pesquisa da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP) concluiu que a depressão pós-parto atinge mulheres de forma duradoura e as desarranja. O enfermeiro Hudson Pires de Oliveira Santos Júnior, defendeu a tese.

“Desanimei pra vida. Choro demais, sofro por tudo, dói o peito, me sinto fraca, pressão sempre tá alta por causa das crises. Agora estou desempregada por não conseguir creche e não ter quem fique com ele, isso me faz ficar em casa e sinto que a crise está voltando”, conclui Tamires.

Segundo Hudson, o Ministério da Saúde não estabelece estratégias para tratar as mulheres afetadas, portanto, os profissionais da saúde da Estratégia Saúde da Família não estão preparados para diagnosticar e tratar as mães que sofrem da doença.

Sintomas - A depressão pós-parto pode se manifestar de diferentes formas. Alguns sintomas são sentidos pela maioria das mães após o parto, mas na depressão pós-parto eles são mais graves.

Sentir-se acabada e triste a maior parte do tempo, falta de concentração, ter pensamentos suicidas, sentir-se inútil e incapaz de desejar coisas e exaustão permanente (mesmo quando consegue descansar um pouco), são alguns dos sintomas que podem indicar a doença.

Para a psicóloga Brenda Rocco “é normal ter dias ruins. Mas, se a mulher está tendo esses sentimentos na maioria dos dias, e não parece estar melhorando, provavelmente está com depressão pós parto”, alerta.