Falta de respeito ao povo tucanense. A festa junina se aproxima, trazendo ao povo tucanense muita decepção.  Além das atrações que tomam lugar e roubam a cultura junina pura e típica da nossa terra, há uma posse ilegal do local da "festa" de abertura do dia 23. Em um local público, com cercados pagos com dinheiro público, camarote pago com dinheiro público, dois palcos pagos com dinheiro público, cobra-se entre 80 e 160 reais de acesso. As dimensões da cultura são ignoradas, o respeito a dimensão cidadã, simbólicas foram boicotados. Só pensaram na dimensão econômica no sentido de lucrar, tendo como base o dinheiro público. O que fazer numa cidade onde poucas pessoas tem reflexão crítica? Tudo é visto como coisa normal. Enquanto isso, a filarmônica é destruída, o pífano é esquecido, o samba de roda morto, os sanfoneiros abatidos, os cantores filhos da terra expulsos dessa festa cara, e os que estão em cartaz foram reduzidos a minúsculas letras escritas abaixo das "grandes atrações". Neste mesmo dia, acontecerá a mesma festa, com as mesmas atrações, de graça, em Serrinha e Euclides da Cunha! Embora seja distante, vale a pena o boicote! Afinal, nem o gestor, tampouco o "produtor cultural " da cidade se importou com o respeito que deveria ter aos munícipes. Todos os envolvidos são de fora, não possuem raízes na cidade, eles não são de Tucano e querem roubar a cena do nosso tão almejado São João, que deveria todo ano ser democrático, por quê? Porque o DINHEIRO é PUBLICO!


 Por: Sonia Miranda Bastos